A tentativa aqui foi de fazer uma espécie de ‘O Homem que
Amava as Mulheres’(1977) moderno, tendo como protagonista um professor sedutor,
com transtornos psicológicos causados (possivelmente) por traumas em sua
infância. No entanto, o filme fracassa com um roteiro confuso, nos deixando completamente
perdidos em determinados pontos da película.

A trama central apara-se no desaparecimento de uma jovem
aluna, amante do personagem principal. Aqui, tudo é realizado de uma maneira
extremamente confusa. Não sabemos o que se passa com o protagonista ou com o
ambiente que o cerca. O que permeia o filme é a sensação de se estar
assistindo algo mítico, por vezes aparentando ser um sonho do protagonista,
interpretado pelo ótimo ator francês Mathieu Amalric. Amalric é a figura que salva (ou tenta)
o filme. Utilizando uma interpretação exagerada, coisa necessária aqui, o ator
consegue dar determinada substância ao personagem. 

No âmbito da direção, teremos um trabalho regular, não conseguindo causar uma sensação de imersão por parte do espectador ao filme, mas consegue dar densidade características do cinema francês em certos pontos. Tudo aqui é distante. A fotografia deixa a desejar, pouco usufruindo de um
ambiente perfeito que o filme se ambienta para impressionar.

 ‘O Amor é Um Crime Perfeito’ não chega a ser um filme ruim,
ele apenas é confuso. O roteiro é inegavelmente ruim. Sua parte final é
apressada e ausente de sentido. A parte feminina do elenco está péssima, não
por culpa delas, mas, sim, de um roteiro misógino. Entretanto, a performance de
Mathieu Amalric faz com que o filme não seja uma completa perda de tempo.

Nota CI: 6,2 Nota IMDB: 5,8

Filmografia:
AMOR é Um Crime Perfeito, O. Direção: Arnoud e Jean-Marie
Larrieu. 2013. 110 min. Título Original: L’amour est un crime parfait.
HOMEM Que Amava as Mulheres, O. Direção: François Truffaut.
1977. 120 min. Título Original: L’homme qui aimait les femmes.