A tarefa de
fazer um filme de comédia de bom nível, mesmo que este se baseie em inúmeros
clichês do gênero, não é fácil. Porém, ‘Relax’ consegue conciliar perfeitamente
todos os pontos comuns nele, acrescentando um ótimo roteiro e atuações na
medida certa. Um ótimo ‘Rod Movie’ para qualquer hora.
A história
trazida aqui é a de David e Linda Howard. Um casal com uma vida ganha, com
ambos trabalhando em ótimos empregos, envoltos em uma rotina inexorável que
traz segurança a eles. David Howard, após oito anos de dedicação a empresa em
que trabalha, está ansioso por uma promoção que lhe fora prometida. Quando
David fica sabendo que não terá a vaga e ainda teria que mudar para outra
cidade, o homem tem um surto, insulta seu chefe e acaba demitido. A trama
central do filme toma forma quando, acusado periodicamente por sua esposa de
ser um homem extremamente precavido, David decide se desfazer de todos seus
bens, comprar um trailer e viver o resto de sua vida com a esposa viajando pela
América.
O filme não
tem medo de usar e abusar de clichês característicos das situações que os
personagens encaram. Porém, o grande diferencial aqui é saber dosar a
quantidade de informação que é passada ao público.
O que temos
na sequência dos eventos, na verdade, não é um ‘Road Movie’ em sua síntese, já
que o filme se norteia em determinados locais com mais frequência. Os clichês
utilizados vão desaparecendo na reta final do filme, as ações dos personagens
não são as que o espectador espera, indo mais a fundo, questionando determinadas
motivações que surgem nos seres humanos.

O roteiro do
filme é pontual, onde cada piada atinge o espectador de determinada forma.
Entretanto, sua maior virtude aqui, é a de propiciar diálogos complexos,
densos, onde a realidade dos personagens é questionada de maneira por vez
sutil, outras mais truculentas, mas sempre cômicas.
Já a direção
é outro ponto positivo do filme. Aqui seu diretor não tem medo de ousar em
algumas cenas, usando uma variedade de ângulos e enquadramentos pouco habituais
para filmes de tal gênero. A curta duração do filme também evidencia o ótimo
trabalho feito pelo diretor, onde cada minuto é aproveitado para contar uma
história completa em suas mais variadas formas.

O elenco
talvez seja o ponto alto do filme. O casal em questão exibe uma química
inerente, onde a cada cena os dois aparentam já saber o que o outro vai fazer,
antecipando seus atos. O timing das piadas é outro fator que pesa na hora de
transmitir ao público as situações cômicas do roteiro. No papel de Linda Howard
temos a ótima Julie Hagerty. Hagerty tira proveito de sua voz,
talvez a mais bonita entre as irritantes do mundo da sétima arte, e seu jeito
corporal de executar as cenas para ganhar seu público. No papel de David Howard
temos a figura de Albert Brooks.

É importante
isolar Albert Brooks aqui. Brooks comanda a direção, roteiro e ainda
protagoniza este filme. Todas as três atividades feitas com extrema
competência. Ousado na direção, preciso no roteiro e hilário em sua atuação. O
brilho de Brooks atuando se dá muito por estar familiarizado com as situações e
piadas ali contidas, nos propiciando uma atuação memorável.
‘Relax’ é um
filme ímpar em meio a tantas comédias dispensáveis. Inserido na inesquecível
década de 1980, o filme contém os melhores elementos da época, inserindo ainda
alguns outros, fazendo com que o filme não fique defasado mesmo 30 anos depois.
Um filme divertido que sem dúvidas vale o tempo investido.
Nota CI: 7,0 Nota IMDB: 7,1
Filmografia:
RELAX.
Direção: Albert Brooks. 1985. 91 min. Título Original: Lost in America.