O terceiro
episódio da saga ‘Star Wars’ mantém a qualidade ruim dos dois anteriores,
entretanto consegue na reta final do filme dar algum sentido a uma trama que
parecia perdida. Sua reta final consegue finalmente parecer realmente com um
filme do universo Star Wars. O elenco está surpreendentemente bem, já seus
efeitos especiais continuam fracos.
O filme se
inicia já em meio a uma batalha travada pelos protagonistas. A sensação aqui é
de ter pego o filme em andamento. Não há explicação plausível para o conflito
em questão, lembrando muito o filme final da saga ‘Hobbit’(2012-2014), quando a
ausência de explicações acaba desnorteando o espectador. O tradicional início
dos filmes da saga, com um pequeno texto explicando o que está acontecendo,
parece uma fuga preguiçosa do roteiro em propiciar ao longa acontecimentos
coerentes.
Os efeitos
especiais, assim como nos dois filmes anteriores, continuam horríveis. A
mistura entre CGI e atores é penosa, parecendo, em alguns momentos, os efeitos
de séries de TV, nos quais o orçamento é, geralmente, bem limitado. Aqui, porém,
temos mais de U$ 100.000.000,00 de orçamento. Fato este que acaba por
evidenciar a incompetência de George Lucas em realizar o filme, seja no âmbito da direção ou, até mesmo, do departamento de produção, onde ele também participa.
O elenco está bem mais à vontade que nos filmes anteriores. O destaque vai para a
atuação segura de Ewan McGregor, passando confiança nos atos de seu personagem, e Hayden Christensen, que consegue alcançar uma performance muito superior às dos filmes
anteriores. A química entre os dois é notável, nos contemplando com as melhores
cenas do filme.
As batalhas
permeiam o filme inteiro, sendo raros os momentos de desenvolvimento da trama. Faltam
diálogos na obra e os que ali estão presentes são superficiais demais.
Entretanto, George Lucas acabou conseguindo acertar, dentro do possível, o
ritmo na reta final. O desenvolvimento do personagem Anakin Skywalker
acaba ditando o ritmo dos acontecimentos que estariam por vir. A introdução, no
final, de um personagem clássico da série, acaba conseguindo envolver o
espectador na trama, fazendo com que estes finalmente se importem com o destino
dos personagens.

‘A Vingança
de Sith’ está muito longe de ser um bom filme, porém seus 40 minutos finais fazem o todo soar aceitável. A impressão que fica é de que um diretor um
pouco mais competente conseguiria alcançar patamares mais elevados nestes três
primeiros capítulos da saga.
Nota CI: 5,7 Nota IMDB: 7,6
Filmografia:
STAR Wars:
Episódio III – A Vingança de Sith. 2005. 140 min. Título original: Star
Wars: Episode III – Revenge of the Sith.
HOBBIT – A batalha dos Cinco Exércitos, O. Direção: Peter
Jackson. 2014. 144 min. Título Original: The Hobbit: The Battle of the Five
Armies.