Hoje em dia é difícil achar ideias novas que acabam por
fugir do habitual. Estamos acostumados com a inevitável repetição e o aperfeiçoamento
de ideias que obtiveram sucesso no passado. Porém, eis aqui algo novo. ‘Swiss
Army Man’ nos apresenta um conceito pouco (ou nada) explorado no cinema. Agora,
o sucesso em fazer um bom filme nessa empreitada é uma história completamente
diferente.
Somos apresentados, no início do filme, a um homem que
planeja o suicídio. O indivíduo se encontra em uma ilha deserta e o isolamento
surge como a provável causa do plano arquitetado contra sua própria vida. A
trama se desenvolve a partir do aparecimento de um corpo trazido pelas
correntezas. Nós, então, começamos a assistir o começo de uma jornada bizarra à procura de sua casa.
O problema do filme não demora a aparecer. O conceito surrealista
da obra, que pretendia ser algo positivo, acaba por soar forçado e sem
inspiração. As cenas de alívio cômico se resumem a escapes escatológicos.
Entretanto, o ponto que determina o fracasso do filme se deve, objetivamente, ao seu
roteiro limitado. A jornada dos personagens não geram interesse ou apatia. Tudo soa muito forçado e o ritmo da obra acaba ficando um tanto quanto truncado. 

No âmbito do elenco, encabeçado pelo excelente Paul Dano e o regular Daniel Radcliffe, veremos trabalhos limitados pela proposta do filme. A performance dos integrantes é suprimida em meio à confusão de seu roteiro. Porém, a relação emanada entre os dois atores é positiva para que a trama avance.

‘Um Cadáver Para Sobreviver’ consegue inovar, mas sua história é
confusa. O relacionamento dos protagonistas (um vivo e o outro morto), que
deveria ser o ponto alto do filme, acaba por ser deixada de lado pelos
componentes surreais apresentados. A tentativa de criar uma versão atual
bizarra do relacionamento entre Jon Voight e Dustin Hoffman, no clássico
‘Perdidos na Noite’(1969), acaba não alcançando o sucesso. Seus realizadores, Dan Kwan
e Daniel Scheinert (direção e roteiro), pecam em criar
uma história fantasiosa e, surpreendentemente, superficial. Entretanto, apesar do fracasso, é interessante ver algo
diferente no habitual. A experiência de assistir ao filme não será das melhores,
mas certamente será única.

Nota CI: 6,2 Nota IMDB: 7,1
Filmografia:
SWISS Army Man. Direção: Dan Kwan e Daniel Scheinert. 2016.
97 min.
PERDIDOS Na Noite. Direção: John Schlesinger. 1969. 113 min.
Título Original: Midnight Cowboy.