Cheio de
simbolismos, usando do tom satírico e sem desprezar a carga dramática,
‘Underground – Mentiras de Guerra’ consegue ser suave e engraçado mesmo quando escolhe abordar temas
complexos. Um estudo sobre o comportamento humano em tempos de exacerbação
social, sem, no entanto, perder o aspecto cômico da tragédia.
O filme vai
passar pela vida de dois amigos, Marko e Crni, investigando suas atitudes e a
implicação destas nas vidas de outras pessoas. A história começa a ser contada
no início da eclosão da Segunda Guerra Mundial e vai até a morte dos dois, na
década de 1990, sempre tendo como pano de fundo o país que ambos estão inseridos, a
finada Iugoslávia.
Marko e Crni
se caracterizam como verdadeiros golpistas na cidade em que vivem no começo do
filme, aproveitando-se do mercado negro para terem uma vida de confortos
inconcebíveis para o resto das pessoas daquele lugar. Extrovertidos e
egocêntricos, os dois têm como natureza se meter em confusões diárias,
desafiando autoridades locais e arrumando brigas sem propósitos em bares da cidade.
A história começa a alçar novos rumos quando Crni se apaixona por uma atriz do
teatro local, a exuberante e desajustada Natalija. Inicialmente tendo que
disputá-la com um oficial do exército alemão, Crni acaba descobrindo que seu
verdadeiro oponente pelo amor da mulher será travado com seu fiel amigo Marko,
surgindo neste ponto um triângulo amoroso.
Os conflitos
gerados pelo triângulo amoroso vão ser preponderantes para o desenvolvimento da
história e dos personagens inseridos na trama. Crni acaba se tornando um alvo
importante do exército alemão e passa a ter que viver escondido em um
subterrâneo junto com dezenas de pessoas, sem poder retornar à vida que
acontece acima dele. Seu amigo Marko vive normalmente no mundo exterior, acaba
casando-se com Natalija e, por este motivo, esconde uma verdade das pessoas que
vivem no subterrâneo que iria mudar completamente aquele cenário.
É em meio à
vida subterrânea daquelas pessoas que o filme constrói seu pilar mais forte. A
limitação territorial imposta às pessoas do lugar não impede que eles criem
um laço inexorável social, desenvolvendo uma cultura única ao local. Vem
exatamente desta vida subterrânea que surge o título do filme. Fazendo um jogo
de palavras, o ‘Underground’ do título se encaixa na tradução literal:
subterrâneo. Porém, encaixa-se também no uso cultural da palavra, para designar
um estilo de cultura fora do comum. Em ambos os casos, servindo perfeitamente
para o cenário presente no filme.
A direção de Emir Kusturica escolhe por dar um tom surreal ao filme em inúmeros momentos, aliviando
a dramaticidade presente nas situações retratadas. Seu estilo de filmagem prima
pela carga frenética presente em cada cena, utilizando o auxílio da trilha
sonora para criar algo único. Kusturica também faz o roteiro, a partir da
história de Dusan Kovacevic.
O trio
principal do elenco está incrível. Temos Predrag ‘Miki’ Manojlovic (Marko), Lazar Ristovski (Crni) e Mirjana Jokovic (Natalija). Aqui, é impossível destacar um dos três, cada atuação complementa a outra. A química presente quando o triângulo está em cena propicia
ao filme momentos mágicos.
‘Underground – Mentiras de Guerra’
é um filme que se enquadra em vários gêneros, utilizando sempre de um tom
ambivalente para alavancar sua história. É interessante ver o quanto uma guerra
pode mudar os construtos de uma pessoa, alterando completamente sua essência.
Não se enganem, o filme é longo, tem 170 minutos que demoram a passar.
Entretanto, a sensação após o término da jornada empreendida pelos personagens
e pelo espectador é especial.
Nota CI: 7,3 Nota IMDB: 8,1
Filmografia:
UNDERGROUND.
Direção: Emir Kusturica. 1995. 170 min.