A extensa filmografia de Woody Allen apenas deixa clara a
sua enorme competência em nos propiciar filmes por vezes divertidos, outras com
um fator suspense acentuado. Até ‘Café Society’, Allen havia dirigido 47
longas-metragens (incluindo um filme de contos, onde a direção foi dividida com
mais dois cineastas), todos filmes no mínimo regulares. Este que vos escreve já
teve a oportunidade de ver todos. Em
alguns destes 47 filmes, tivemos alguns tropeços, como ‘Você Vai Conhecer o
Homem dos Seus Sonhos’(2010), onde ele realizou filmes fracos, mas que sempre
divertiam. Entretanto, Allen jamais havia dirigido um filme ruim. Jamais. Bom,
é com grande pesar que digo que ‘Café Society’ é ruim. É substancialmente ruim.
O 48° longa da carreira de Allen é um desastre.
O filme é localizado na Hollywood da primeira metade do
século XX. Aqui temos determinados personagens divididos entre agentes de
cinema e jovens sedentos por qualquer oportunidade dentro da indústria
cinematográfica. A história contém os elementos característicos do cinema do
diretor, como a traição e o desajuste social, por exemplo. A curta duração de
seus filmes geralmente ficam longe de ser um problema para o andamento da
história, porém aqui é diferente. Os 96 minutos de filme acabam por deixar a
trama superficial demais, com conflitos sendo resolvidos em questão de minutos.
Isso quando são mostrados.
A parte positiva do longa é a sua estonteante fotografia,
proporcionada por Vittorio Storaro, que utilizando-se de uma tonalidade quente,
consegue dar vivacidade aos quadros. A trilha sonora não foge do habitual,
porém aqui ela acaba irritando o espectador em alguns momentos em virtude de
seus acordes repetitivos.
Entretanto, o que caracteriza o filme como ruim é a péssima
escolha de elenco feita aqui. Já havíamos visto o diretor errar anteriormente
neste quesito, quando escalou atores fracos para protagonizar ‘Igual a Tudo na
Vida’(2003). Porém aqui a escolha equivocada destrói o filme completamente. Jesse Eisenberg
e Kristen Stewart formam uma das duplas de protagonistas
mais apáticas da história do cinema. Em nenhum momento durante o filme eles
passam algum sinal de que estão familiarizados com os personagens. Nenhum. Em
alguns momentos me senti assistindo uma peça teatral de baixo orçamento em
detrimento das performances extremamente forçadas.O insucesso se deve
principalmente a Eisenberg, que se utiliza de gestos e manias que tentam dar
alguma substância a seu personagem. Porém, o que vemos é um espetáculo bizarro.
Ainda temos a participação do ótimo Steve Carrell. Aqui ele não destoa da dupla
protagonista, soando forçado (apesar de esforçado) e os romances vividos pelo
personagem inverossímeis. A tentativa do diretor foi dar a Carrell um
personagem similar ao de Alan Alda, no ótimo ‘Crimes e Pecados’(1989), onde a
ignorância e estupidez ganham conotações atraentes para o sexo oposto.
Não é fácil criticar um diretor tão regular durante sua
carreira. Woody Allen é um dos maiores nomes da história do cinema. Um dos meus
diretores favoritos. Entretanto, nada me impede de odiar ‘Café Society’. O
roteiro é todo esburacado, o filme é corrido e o elenco entrega performances
horrorosas. O único momento de prazer no espectador gerado pelo filme é a sua
subida dos créditos, anunciando o final da tortura. Já pensou se o filme
tivesse mais 30 minutos de duração? Mais 30 minutos olhando o rosto
inexpressivo de Stewart? Mais 30 minutos olhando Jesse Eisenberg parecer ter
ataques epiléticos diante das câmeras? Sim, poderia ser pior.
Nota CI: 6,1 Nota IMDB:6,7
 
Filmografia:
CAFÉ Society. Direção: Woody Allen. 2016. 96 min.
VOCÊ Vai Conhecer o Homem de Seus Sonhos. Direção: Woody
Allen. 2010. 98 min. Título Original: You Will Meet a Tall Dark Stranger.
IGUAL a Tudo na Vida. Direção: Woody Allen. 2003. 108 min.
Título Original: Anything Else.
CRIMES e Pecados. Direção: Woody Allen. 1989. 104 min.
Título Original: Crimes and Misdemeanors.