O inesgotável
Takeshi Kitano consegue superar o primeiro filme da
saga ‘Outrage’ nesta ótima sequência. Utilizando a mesma violência exacerbada
do primeiro filme, entretanto, agora, com muito mais ação, o japonês altera a
substância sem perder em qualidade.
A trama agora
se desenvolve a partir de uma série de desavenças entre determinadas famílias
da Yakuza e a parte corrupta da polícia. Aqui veremos todo o tipo de trapaça,
vingança e conceitos morais rígidos que vimos no primeiro filme. Entretanto, a
diferença aqui, é a intensa ação da trama, multiplicando o número de mortes e
não sendo mais exclusivo ao gênero ‘Crime’.

O roteiro
desta vez é muito mais simples. Temos uma bela redução no número de diálogos,
que permeavam o primeiro longa. Essa ausência não traz nenhum revés ao filme em
detrimento do belo trabalho de Kitano. Seu trabalho não se resume “apenas” a
dirigir, roteirizar e protagonizar o filme, aqui ele também faz um excelente
trabalho na edição ao lado de Yoshinori Ohta.
Cada corte de cena trabalha por dar agilidade ao filme, sem deixá-lo cair em
uma rotina comum de repetições de atos. 
As sequências intermináveis de mortes são muito parecidas com algumas
cenas de ‘Os Infiltrados’(2006). Seu conteúdo abrupto, trazendo atos violentos
sem precedentes, nos remete aos filmes de Quentin Tarantino, como, por exemplo,
a icônica cena do bar em ‘Bastardos Inglórios(2009).
‘Beyond
Outrage’ cumpre sua proposta sem pestanejar. Não espere aqui uma trama
complexa, como no primeiro, o que somos premiados aqui é com um diretor extremamente
inspirado e dedicado. São 112 minutos de ação intensa. Sem descanso. Um dos
melhores trabalhos da carreira do brilhante cineasta japonês.
Nota CI: 6,6 Nota IMDB: 6,7
Filmografia:
BEYOND
Outrage. Direção: Takeshi Kitano. 2012. 112 min. Título Original: Autoreiji: Biyondo.
INFILTRADOS,
Os. Direção: Martin Scorsese. 2006. 151 min. Título Original: The Departed.
BASTARDOS
Inglórios. Direção: Quentin Tarantino. 153 min. Título Original: Inglourious
Basterds.