Esta lista traz dez filmes que evidenciam o conceito de obsessão no cinema. São filmes que levam o conceito ao extremo, seja por obsessões em pessoas ou em alguma atividade da vida, mostrando como o tema espalha-se por diversos nuances. É importante destacar que os filmes abaixo não tendem sempre a mostrar uma visão negativa sobre o conceito, trazendo também visões positivas sobre a obsessão, elevando o tema como fator preponderante para encontrar a substância da vida.

 

10º – Sangue Negro (Paul Thomas Anderson, 2007)

Seguindo os passos de Daniel Plainview, ‘Sangue Negro’ conta a história de um homem obcecado pelo poder e que nutre um ódio por tudo àquilo que o permeia. O filme passa as mais de duas horas e meia de sua duração destrinchando vários anos da vida do homem. Sua ascensão ao poder é estudada e sua degeneração ao completo estado de loucura é esmiuçada diante do espectador.

 

9º – O Show Deve Continuar (Bob Fosse, 1979)

O filme conta a história de vida de Joe Gideon, um coreógrafo que rege sua vida por exageros com mulheres, drogas e bebidas. ‘O Show Deve Continuar’ é um retrato da figura da obsessão inserida no simples amor pelas instâncias da vida. A obsessão aqui também serve como força propulsora para a condenação do indivíduo, mas, no entanto, também é exposta como um fator que traz substância à vida do ser humano.

 

8º – A Pele de Vênus (Roman Polanski, 2013)

Uma atriz chega, atrasada, para um teste de uma personagem central de uma peça de teatro. Logo, o diretor se nega a fazer um teste com a mulher em virtude de seu atraso. No entanto, a mulher consegue convencê-lo a observá-la em algumas falas da peça, iniciando neste ponto uma alteração no papel de poder entre os dois. ‘A Pele de Vênus’ é um filme que trabalha com diversos conceitos no decorrer de sua trama, mas o tema mais presente, talvez, é o da obsessão do diretor pela figura da atriz. A obsessão é retratada pelo filme como uma instância da vida que atua por destruir conceitos morais e éticos, deixando o indivíduo exposto a uma influência gigantesca de suas capacidades instintivas e completamente irracionais.

 

7º – O Abutre (Dan Gilroy, 2014)

O filme conta a história de um homem que, após procurar desesperadamente por um emprego, descobre que a vida como fotógrafo de acidentes rendia mais dinheiro do que aparentava. O homem acaba ficando cada vez mais obcecado por seu trabalho, chegando a manipular completamente alguns itens de acidentes, desligando seu aparato moral e adentrando em um estado onde as amarras morais estão afrouxadas.

 

6º – Perfect Blue (Satoshi Kon, 1997)

Uma cantora de um famoso grupo de música pop resolve abandonar sua carreira para seguir o sonho de tornar-se atriz. Tudo que se segue após essa decisão trabalha por desorientar a personagem e o espectador. Realidade e imaginação sofrem um processo simbiótico, jamais deixando claro qual é qual. ‘Perfect Blue’ é um filme sobre fantasmas do passado, sonhos grandes demais que atuam contra a essência humana e, também, sobre o mal enraizado na sociedade.

 

5º – A Igualdade é Branca (Krzysztof Kieslowski, 1994)

Após se separar de sua mulher francesa e ser humilhada por ela, um homem polonês volta ao seu país natal e começa a maquinar uma terrível vingança contra a mulher que outrora lhe amou. A obsessão aqui é tida como uma forma solidificada na essência do indivíduo, um processo antinatural que lhe tira a fluidez de pensamentos e atitudes, propiciando-o uma vida com um sentido empedernido. Leia Nossa Crítica do Filme!

 

4º – Esse Obscuro Objeto do Desejo (Luis Buñuel, 1977)

O filme é exposto nos fragmentos passados da vida de um homem de meia-idade obcecado pela figura de uma jovem mulher. ‘Esse Obscuro Objeto do Desejo’ é uma obra sobre os diversos nuances da paixão e obsessão, mostrando um panorama expandido sobre os dois conceitos.

 

3º – A Ponte do Rio Kwai (David Lean, 1957)

Um coronel inglês comanda a operação para a construção de uma ponte para trens depois que é capturado pelos japoneses durante a 2ª Guerra Mundial. O filme mostra como o coronel tem em sua essência um valor de moralidade muito forte, se entregando completamente a sua tarefa, mesmo após esta, após determinado período da trama, ser completamente inviável e estar condenada por seus compatriotas.

 

2º – Fitzcarraldo (Werner Herzog, 1982)

O filme conta a história de um homem completamente obcecado pela ideia de construir uma ópera no meio da selva, vindo a enfrentar os mais diversos percalços para tentar consumar seu maior sonho. Tendo quase três horas de duração, a obra é um passeio pelo construto psicológico de um personagem que flerta com a loucura em diversas momentos do longa, ignorando conceitos morais e éticos para chegar a seu objetivo.

 

1º – Amador (Krzysztof Kieslowski, 1979)

Um homem adquire uma câmera quando seu filho nasce, expondo a desculpa de poder registrar todos os avanços da vida da criança. No entanto, quando vai adquirindo um maior conhecimento com o instrumento, o homem acaba ficando obcecado pela ideia de sempre capturar as melhores imagens e cenas, mostrando a apreensão de um novo dom. ‘Amador’ é um filme sobre a vida e seus pontos mais significantes. Obra-prima do polonês Krzysztof Kieslowski.