Trouxemos, neste Top10, dez bons filmes menos conhecidos da enorme filmografia de Woody Allen. A proposta aqui é fugir ao comum quando se é falado sobre a carreira de Allen, incluindo filmes de seu começo de carreira, algumas comédias e dramas escondidos dos anos 1980 e, até mesmo, uma obra que é pautada em um dos nomes que o influenciaram na sétima arte. Os filmes abaixo explicitam, também, como a filmografia do cineasta é numerosa e, de fato, extremamente produtiva no quesito qualidade. Vamos à lista!

 

10º – Dirigindo no Escuro (Woody Allen, 2002)

Um diretor de cinema começa um novo projeto, no entanto, um dia antes de iniciar as filmagens, ele acaba perdendo sua visão. A trama se concentra na tentativa do diretor em esconder seu problema da equipe de produção, a fim de não perder seu posto no filme. ’Dirigindo no Escuro’ segue uma atmosfera mais suave e pouco trabalhada de humor, procurando sempre utilizar um senso cômico de forma simples.

 

9º – Um Assaltante Bem Trapalhão (Woody Allen, 1969)

Seguiremos os passos de Virgil Starkwell, um indivíduo em uma jornada errática sobre o mundo, inserido em uma rotina de insucessos através do crime. Expondo um Woody Allen ainda em começo de carreira, ‘Um Assaltante Bem Trapalhão’ não é uma das melhores obras do diretor, com problemas de ritmo constantes, mas que expõe alguns dos conceitos cômicos que ele viria a consagrar em anos posteriores. Confira Nossa Crítica do Filme!

 

8º – A Última Noite de Boris Grushenko (Woody Allen, 1975)

Nutrindo uma trama cheia de exacerbações, o filme se concentrará nos nuances da vida de um soldado russo desastrado e problemático. Pautado sempre em construções de cenas exageradas, Woody Allen nos entrega uma obra bastante dinâmica, conseguindo, em apenas 85 minutos de duração, caminhar sobre diversas camadas de história, sem grandes presunções e de forma simples.

 

7º – A Outra (Woody Allen, 1988)

Encontrando problemas para escrever seu livro, uma escritora resolve alugar um apartamento para tentar achar um equilíbrio para trabalhar. No entanto, a mulher acaba se vendo envolta em uma crise existencial quando escuta periodicamente as conversas entre uma psiquiatra e seus clientes no apartamento ao lado. Alocando-se completamente no gênero do drama, ‘A Outra’ segue uma atmosfera bastante fria para conduzir sua história, escolhendo sempre por resoluções bem construídas pelo roteiro para a história. O filme ainda nos traz uma grande conjunção de atores para guiar a história, como Mia FarrowGena RowlandsIan Holm e Gene Hackman.

 

6º – O Dorminhoco (Woody Allen, 1973)

Um homem congelado em 1973 é trazido de volta à vida centenas de anos depois, vindo a descobrir um mundo completamente alterado e tentando sobreviver a isto. Completamente despretensioso, ‘O Dorminhoco’ acaba divertindo o espectador em todas as suas cenas, sempre se valendo de boas atuações de sua dupla de protagonistas (Woody Allen e Diane Keaton) e seu roteiro cheio de boas tiradas.

 

5º – Um Misterioso Assassinato em Manhattan (Woody Allen, 1993)

Um casal de meia-idade começa a suspeitar que a morte da mulher do vizinho esconde segredos mais macabros do que se revelara a priori. Em um dos filmes mais divertidos da carreira de Woody Allen, veremos a trama alternar entre a comédia e o mistério, sabendo variar entre os gêneros e se aproveitando das atuações paranoicas de seus protagonistas.

 

4º – Setembro (Woody Allen, 1987)

Numa casa de campo em Vermont, nos inseriremos em um emaranhado de relacionamentos amorosos não correspondidos, explicitando o comportamento errático de cada indivíduo presente no lugar. Elenco comprometido, trama concisa e sua curta duração tornam ‘Setembro’ um filme abrangente e dinâmico, trabalhando com diversos personagens distintos.

 

3º – Maridos e Esposas (Woody Allen, 1992)

Após descobrirem que um casal de amigos próximos está se separando, Gabe e Judy, indivíduos em um relacionamento (aparentemente vivendo um casamento perfeito), começam a vislumbrar problemas em próprio cotidiano, vindo a se questionarem sobre seus caminhos futuros.

 

2º – Sonhos Eróticos de Uma Noite de Verão (Woody Allen, 1982)

Três casais se reúnem em uma casa de campo para alguns dias tranquilos, sem, no entanto, pensarem que a experiência seria mais intensa do que imaginavam. Passaremos os curtos 88 minutos de duração da trama inseridos no cotidiano dos personagens, notando suas angústias e prazeres, e percebendo seus sensos instintivos aflorarem. Comédia divertida, leve e com ótimas atuações que, certamente, merecia um maior reconhecimento dentro da filmografia de Woody Allen.

 

1º – Interiores (Woody Allen, 1978)

Homenagem de Woody Allen ao clássico ‘Gritos e Sussurros’, do sueco Ingmar Bergman, ‘Interiores’ traz a vida de incongruências de três irmãs que acaba eclodindo em um emaranhado de incertezas quando descobrem que seus pais estão se divorciando. Experiência catártica acerca da síntese do errático comportamento do ser humano, o filme é um deleite para os espectadores assíduos pelas semelhanças expostas nos trabalhos de Allen e Bergman.