Focando-se no conceito de desajuste social e suas implicações na construção psicológica de determinados indivíduos, esta lista possui como proposta explicitar personagens simbólicos da sétima arte que explicitam este conceito. Os filmes abaixo, variando entre os gêneros de drama e comédia, são compostos com personagens centrais que, aos olhos de uma sociedade ocidental tradicional, expõe um comportamento errático sobre o mundo, agindo de forma exacerbada, instável, inadequada e irascível nas diversas formas de contato social. Vamos à lista!

 

10º – O Mundo de Andy (Milos Forman, 1999) – Andy Kaufman

A trama segue a vida conturbada e extremamente movimentada do comediante americano Andy Kaufman, mostrando sua forma exacerbada de se comportar e seu talento inquestionável. O desajuste é explicitado exatamente pela figura do personagem central, onde suas atitudes sempre fogem ao comum, incomodando o âmbito social e, muitas vezes, proporcionando sofrimento a ele. ‘O Mundo de Andy’ apresenta uma das melhores atuações da carreira de Jim Carrey.

 

9º – Fitzcarraldo (Werner Herzog, 1982) – Brian Sweeney Fitzgerald

O filme apresenta a história de um homem completamente obcecado com a ideia de construir uma ópera no meio da selva. A trama do filme se concentrará na busca intermitente do personagem por realizar esse desejo, passando pelos mais diversos percalços. Brian Sweeney Fitzgerald (o personagem central), em sua busca substancial pela ópera, dispõe sobre o mundo atitudes extremas, desprezando completamente opiniões alheias, apresentando uma forma de comportamento única. Obra-prima de Werner Herzog, ‘Fitzcarraldo’ é um filme irretocável, expondo uma grande conjunção de fatores sobre um personagem em sua jornada errática sobre o mundo.

 

8º – Inside Llewyn Davis (Ethan e Joel Coen, 2013) – Llewyn Davis

Iremos nos inserir na vida de Llewyn Davis, um músico sem reconhecimento e financeiramente quebrado, mostrando sua rotina diária sofrida atrás da simples possibilidade de atravessar o dia. O filme explicita os percalços enfrentados pelo personagem adentrando em duas vertentes diferentes, onde o cenário precário e disputado da época para seu ramo e sua forma equivocada de resolver situações diárias acaba trabalhando por sabotar sua evolução social e pessoal.

 

7º – Bronson (Nicolas Winding Refn, 2008) – Michael Peterson

O filme traz em sua trama o convívio turbulento entre Michael Petersen, um homem violento e incontrolável, e o sistema prisional de seu país. Inicialmente devendo cumprir somente sete anos por um roubo, o homem acaba passando várias décadas preso em virtude de seu comportamento extremo, chegando a representar um grande problema para as prisões por onde passa. Dirigido por Nicolas Winding Refn, ‘Bronson’ é um filme que, assim como seu protagonista, se move de forma intensa, apresentando ao espectador uma violência gráfica intermitente.

 

6º – Touro Indomável (Martin Scorsese, 1980) – Jake La Motta

Trabalhando com uma trama biográfica sobre a vida do boxeador Jake La Motta, ‘Touro Indomável’ expõe as incongruências de um indivíduo regido por um comportamento completamente autodestrutivo, sempre fazendo um contraponto com seu talento inegável exposto nos ringues. Melhor atuação da carreira de Robert De Niro e uma das mais impactantes da história do cinema. Confira Nossa Crítica do Filme!

 

5º – Submarino (Thomas Vinterberg, 2010) – Nick e Martins

Afetados por fantasmas do passado, dois irmãos, cada um com sua personalidade distinta da do outro, regem seus cotidianos por rotinas autodestrutivas, trazendo sofrimentos para si e para as pessoas mais próximas. ‘Submarino’, dirigido por Thomas Vinterberg (um dos maiores nomes contemporâneos do cinema dinamarquês), é um drama duro sobre a importância dos laços familiares para o pleno desenvolvimento de um indivíduo, expondo, ainda, como determinadas instâncias do passado podem atuar de forma destrutiva.

 

4º – Nu (Mike Leigh, 1993) – Johnny

Johnny empreende uma jornada vazia através da vida, atuando por lesar todos a sua volta com seu niilismo impregnado em seu modo de ser, desprezando todos os elementos que compõem o mundo, nutrindo um vazio existencial inerente a sua essência. O filme focará, durante os seus 132 minutos de duração, nessa jornada vazia de Johnny, destrinchando todas as formas de intercâmbio social que o homem efetua. Um dos melhores filmes do diretor Mike Leigh, expondo, assim como em ‘A Vida é Doce’ (obra anterior a esta), como a podridão intrínseca à espécie humana pode adentrar aos campos mais improváveis e da pior maneira.

 

3º – Blue Jasmine (Woody Allen, 2013) – Jasmine

Após separar-se de seu marido e passar a ter problemas financeiros inimagináveis em outrora, Jasmine tem que morar com sua irmã, uma mulher muito mais humilde em relação ao dinheiro, reaprendendo sobre algumas instâncias da vida. Expondo uma das melhores obras do diretor Woody Allen no século XXI, ‘Blue Jasmine’ ainda entrega uma atuação irretocável da atriz Cate Blanchett à frente da protagonista.

 

2º – Bugsy (Barry Levinson, 1991) – Bugsy Siegel

A trama segue os passos de Bugsy Siegel, um visionário irascível, e sua jornada de obsessão com mulheres e a construção de um cassino no meio do deserto. Demonstrando um comportamento completamente exacerbado em relação ao seu meio social, o homem nutre uma forma aprazível no seu contato com outras pessoas, na mesma medida que atua de maneira violenta quando confrontado. ‘Bugsy’ é dirigido pelo ótimo Barry Levinson e possui como protagonista o lendário Warren Beatty.

 

1º – O Grande Lebowski (Ethan e Joel Coen, 1998) – ‘The Dude’

Procurando unicamente passar dias calmos e despreocupados jogando boliche, Jeff Lebowski, ou ‘The Dude’ (como é conhecido e exposto no filme), tem sua vida virada de cabeça para baixo quando é confundido com um milionário com o mesmo nome. O desajuste está contido na forma como Leboswski leva sua vida e os eventuais contratempos de seu cotidiano, sempre expondo uma forma calma, quase sonolenta, de agir, parecendo não sentir o real peso de determinadas situações. ‘O Grande Lebowski’ é um filme irretocável, trabalhando por entreter seu espectador em todos os seus 117 minutos de duração.