Vencedor de seis estatuetas do Oscar em sua longa filmografia, Billy Wilder se notabilizou por seu talento expansivo, variando entre diversos gêneros e obtendo sucesso em todos, conseguindo trazer ao cinema diversas obras-primas. Nascido no começo do século XX, em 1906, Billy Wilder foi fazer sua estreia como diretor, posto que o consagraria em anos subsequentes, em 1934, no filme ‘Semente do Mal’. Wilder dirigiria ainda mais 25 filmes até 1981. Neste Top10, nos propusemos à dura missão de selecionar dez filmes elementares para compreender o cerne do cinema de Wilder. Os filmes abaixo são muito distintos um do outro, evidenciando períodos diferentes da carreira do diretor. Vamos à lista!

 

10º – Cupido Não Tem Bandeira (Billy Wilder, 1961)

Na Alemanha Oriental, em meio à Guerra Fria, um executivo da coca-cola é incumbido da missão de cuidar da filha de um importante homem de negócios. A trama ganha seu ritmo quando o homem descobre que é impossível manter sob controle a filha do sujeito, acarretando em uma série de confusões para ele. Bastante dinâmico, ‘Cupido Não Tem Bandeira’ não chega aos pés dos maiores filmes de Billy Wilder, mas, ainda assim, acaba se fazendo uma excelente comédia.

 

9º – Inferno Nº 17 (Billy Wilder, 1953)

A trama se concentra em um campo de concentração, em meio à Segunda Guerra Mundial, mostrando o cotidiano dos prisioneiros em suas buscas diversas por formas de se divertir e a eclosão da informação de que existiria um informante no lugar. Nutrindo um roteiro conciso e atuações irretocáveis, ‘Inferno Nº 17’ é um dos dramas mais substanciais da carreira de Billy Wilder.

 

8º – A Montanha dos Sete Abutres (Billy Wilder, 1951)

Um repórter em declínio em sua carreira resolve aproveitar-se de uma situação onde um homem se encontra preso em uma caverna para tentar voltar a vislumbrar o sucesso em sua profissão. ‘A Montanha dos Sete Abutres’ trabalha sobre o senso de banalização de notícias na mídia, os limites morais intrínsecos a uma sociedade e a vontade de poder inserida no ser humano. Atemporal, os temas abordados pelo filme podem ser facilmente inseridos em uma realidade atual.

 

7º – O Pecado Mora ao Lado (Billy Wilder, 1955)

Quando sua família vai viajar, um homem de meia-idade terá que evitar os encantos de sua bela vizinha e manter-se fiel ao seu casamento. Restrito a poucos cenários, o filme vai se aproveitar bastante da figura de seu roteiro bem trabalhado para reger sua trama, se valendo, também, da sempre dinâmica direção de Billy Wilder.

 

6º – Farrapo Humano (Billy Wilder, 1945)

A rotina degenerativa de um homem exposto ao vício pelo álcool. Drama comovente sobre o sofrimento que determinadas instâncias do mundo podem causar a um indivíduo e sobre o aspecto da redenção intrínseco ao ser humano. Obra-prima de Billy Wilder.

 

5º – Quanto Mais Quente Melhor (Billy Wilder, 1959)

Após serem testemunhas de um ataque de gangues, dois músicos são obrigados a fugirem de suas vidas habituais de forma apressada, encontrando abrigo em uma banda formada unicamente por mulheres, tendo que fingir serem do sexo oposto. Trazendo um trio de atores simplesmente lendário (Marilyn MonroeTony Curtis e Jack Lemmon), ‘Quanto Mais Quente Melhor’ é uma das grandes comédias já concebidas no cinema.

 

4º – Se Meu Apartamento Falasse (Billy Wilder, 1960)

Tentando subir de cargo na empresa onde trabalha, um homem aceita que um executivo do lugar use seu apartamento para casos extraconjugais. No entanto, quando uma das garotas levadas ao lugar não reage bem a um desencanto com um dos executivos, cabe ao homem resolver a situação da melhor forma. A comédia, além de todo o brilho de seu roteiro dinâmico e a direção impecável de Billy Wilder, traz uma atuação memorável de Jack Lemmon à frente do papel de protagonista.

 

3º – Testemunha de Acusação (Billy Wilder, 1957)

Um experiente advogado resolve defender um homem acusado de assassinato, desnivelando consequências inimagináveis. Em uma trama permeada de reviravoltas, ‘Testemunha de Acusação’ é uma aula de cinema. Billy Wilder, sempre de forma cadenciada, sem nunca perder o ritmo ou se fazer insosso, consegue construir uma trama pautada no mistério, onde cada cena trabalha por desorientar o espectador acerca do que está vendo, tudo feito de uma forma verossímil. E, claro, grande parte do sucesso do filme se deve ao seu elenco soberbo, com nomes como Tyrone PowerMarlene Dietrich e o inigualável Charles Laughton.

 

2º – Crepúsculo dos Deuses (Billy Wilder, 1950)

Ícone do cinema noir, ‘Crepúsculo dos Deuses’ exibe em sua trama a tentativa desesperada de uma atriz, em um período decadente de sua carreira, na tentativa de reviver seus melhores dias ao contratar um jovem roteirista para ajudá-la. São 110 minutos inseridos em uma obra-prima simplesmente irretocável. Um estudo sobre a ganância humana e seus eventuais perigos.

 

1º – Pacto de Sangue (Billy Wilder, 1944)

No melhor filme do gênero Noir já feito, teremos uma trama que seguirá os passos de um vendedor de seguros que é manipulado por uma bela mulher para matar seu marido, visando o dinheiro do seguro do homem. Após uma série de contratempos depois de decidir ir em frente com a ideia da mulher, o vendedor terá que lidar com uma investigação implacável feita por um agente de seguros acerca dos desnivelamentos do crime.