A atmosfera de um filme de terror acaba se caracterizando como um dos elementos essenciais para se construir uma boa obra. Muitas vezes, somente a habilidade de possuir um clima atmosférico adequado já caracteriza alguns filmes do gênero como boas opções para o espectador. No entanto, quando os filmes conseguem combinar essa atmosfera produtiva com alguns outros bons elementos da sétima arte o resultado é magistral. Listamos abaixo dez filmes que conseguem realizar essa tarefa. São filmes que trazem o que há de melhor no gênero do horror e emitem trabalhos de atmosfera, simplesmente, inigualáveis. Vamos à lista!

 

10º – O Exorcista (William Friedkin, 1973)

Após sua filha ser possuída por uma estranha entidade, uma mãe tentará na ajuda de um padre salvá-la. Todos os elementos presentes no filme acabam conseguindo captar a atenção do espectador. No entanto, o que mais eleva ‘O Exorcista’ entre os grandes do gênero de horror é o seu trabalho na construção de sua atmosfera. Tudo aqui trabalha por introduzir o espectador no interior daquele ambiente pouco aprazível.

 

9º – Suspiria (Dario Argento, 1977)

Uma jovem bailarina americana viaja até a Europa para ser parte integrante de uma escola de dança. Entretanto, pouco após sua chegada, a jovem se depara com estranhos assassinatos eclodindo no lugar, iniciando uma batalha por sua vida. Diferente de todos os filmes desta lista, bem como a grande maioria do gênero, ‘Suspiria’ nos propõe um atmosfera mais quente para reger sua trama, expondo sempre uma fotografia bastante colorida e uma trilha sonora pulsante. Clássico do cinema de horror italiano.

 

8º – Inverno de Sangue em Veneza (Nicolas Roeg, 1973)

Após a trágica morte de sua filha pequena, um casal se refugia em Veneza para lidar com o doloroso processo de luto. O filme ganhará sua dinamicidade quando estranhos acontecimentos inexplicáveis começam a acontecer no local, colocando a sanidade do casal em jogo. Frio e cruel em seus desnivelamentos, todo o charme de ‘Inverno de Sangue em Veneza’ se concentra em sua atmosfera aterradora.

 

7º – Videodrome – A Síndrome do Vídeo (David Cronenberg, 1983)

Expondo a derrocada à loucura de um produtor de televisão após descobrir um filme “snuff”, ‘Videodrome’ traz estranheza ao espectador, sempre trabalhando com cenas que beiram o bizarro, se valendo do que há de mais tradicional na filmografia de David CronenbergLeia Nossa Crítica do Filme!

 

6º – O Bebê de Rosemary (Roman Polanski, 1968)

Um casal se muda para um aprazível apartamento, esperando ter no lugar paz e tranquilidade para guiarem sua vidas. No local, eles acabam por conhecer um casal de idosos que são seus vizinhos. Se apresentando encantadores em um primeiro momento, esses vizinhos começam a se intrometer cada vez mais na vida do casal, provocando crises em seu relacionamento. Um dos maiores expoentes do gênero, ‘O Bebê de Rosemary’ é um clássico irretocável do cinema de Roman Polanski. Sua atmosfera fria e claustrofóbica acaba prendendo a atenção do espectador, promovendo sempre desnivelamentos surpreendentes para sua trama. E, claro, vale citar que o filme tem um dos finais mais célebres da história do cinema.

 

5º – O Mistério de Candyman (Bernard Rose, 1992)

Uma estudante de jornalismo, buscando conteúdos para uma pesquisa sobre mitos e lendas, acaba por conhecer a história de “Candyman”, um fantasma que, supostamente, faz vítimas no bairro carente de Cabrini-Green. Conforme a estudante começa a coletar materiais para sua pesquisa sobre a lenda, estranhos acontecimentos começam a mudar sua vida. Pérola da década de 1990, ‘O Mistério de Candyman’, adaptado de uma história de Clive Barker, consegue surpreender exatamente pela construção irretocável da atmosfera acerca dos acontecimentos em Cabrini-Green, emanando um lugar decadente, frio, quase inabitado e, claro, assustador. Leia Nossa Crítica do Filme!

 

4º – Possessão (Andrzej Zulawski, 1981)

Perturbador em todos os seus rumos, o filme traz a derrocada à loucura de um casal em crise em seu relacionamento. Apesar de se notabilizar por seu conteúdo gráfico exacerbado, ‘Possessão’ também chama a atenção por sua história envolvente (apesar de ser difícil encontrar sentido em cada desnivelamento da trama) e sua direção extremamente habilidosa do cineasta Andrzej Zulawski.

 

3º – A Bruxa (Robert Eggers, 2015)

No Século XVII, uma família inserida em uma realidade rural é atormentada com os rumores de que uma bruxa permeia o lugar. Junto com os rumores, estranhos acontecimentos passarão a ocorrer com os integrantes da família, colocando em jogo o destino de suas vidas. ‘A Bruxa’ é uma das grandes surpresas do gênero dos anos 2000. Um filme denso, deixando toda sua substância para a atmosfera atraente proposta, conduzindo uma história cheia de nuances.

 

2º – O Iluminado (Stanley Kubrick, 1980)

Um homem aceita um trabalho como zelador de um grande hotel para o período de férias do lugar, levando sua esposa e filho para lhe acompanharem no período de isolamento. Isolados do mundo pela neve, a família começa a presenciar estranhos acontecimentos no lugar, ao mesmo tempo em que o homem acaba perdendo aos poucos seu contato com a realidade. Baseado no romance de Stephen King, ‘O Iluminado’, apesar de receber algumas críticas por não ser extremamente fiel ao livro, é um dos maiores filmes do gênero, trazendo uma obra irretocável.

 

1º – Alucinações do Passado (Adrian Lyne, 1990)

O filme apresenta diversos fragmentos aleatórios da vida de Jacob, um veterano perturbado da guerra do Vietnã, mostrando toda a intensidade de sua vida, junto com acontecimentos que talvez não sejam reais. A trama vai variar entre alucinações e acontecimentos reais, sem jamais informar o espectador sobre o que é cada um. A atmosfera fria, emanando um sentimento de desamparo, seja no personagem ou no próprio espectador, consegue dar toda a substância necessária ao filme.