Top10: Dez Filmes Com Mais de Três Horas de Duração Que Você Precisa Assistir

Listamos abaixo dez filmes bastante longos que são verdadeiras obras-primas. Aqui, nesta lista, procuramos sempre incluir obras que conseguem obter êxito nas suas propostas exatamente por conseguir contá-las de uma forma concisa, sempre destrinchando as personalidades de cada personagem em longas horas de projeção.


10º – Lawrence da Arábia (David Lean, 1962) – 228 min.

filme mostra a aventura de um oficial inglês na busca por conduzir uma tribo árabe ao combate dos turcos em meio à 1ª Guerra Mundial. As mais de três horas enfrentadas pelo espectador são recompensadoras a cada minuto superado.

 

9º – Sono de Inverno (Nuri Bilge Ceylan, 2014) – 196 min.

Um ator aposentado comanda um hotel isolado na área central de Anatólia e tem que lidar com as desavenças com os habitantes do lugar e com sua própria família. ‘Sono de Inverno’ é um filme sobre o comportamento humano e suas exacerbações. O filme utilizará todos os 196 minutos de sua duração para destrinchar o que compreende todas as bases da personalidade do protagonista e sua incapacidade de alterar a síntese de suas atitudes com o mundo. Leia Nossa Crítica do Filme!

 

8º – 1900 (Bernardo Bertolucci, 1976) – 317 min.

filme expõe a história de vida de dois amigos em meio a um duela de classes, na Itália, no início do século XX. O filme é gigantesco e requer paciência por parte do espectador. Tudo aqui é transmitido de maneira bastante dosada, explorando tudo que permeia a vida naquele lugar durante os anos abordados.

 

7º – A Lista de Schindler (Steven Spielberg, 1993) – 195 min.

Inserido no contexto da 2ª Guerra Mundial, ‘A Lista de Schindler’ conta a história de um homem que, após ver as situações precárias as quais os judeus são submetidos, resolve ajudá-los na busca por determinados objetivos. O filme parece não ter 195 minutos de duração, tudo aqui passa muito rápido e sem pesar ao espectador.

 

6º – Três Homens em Conflito (Sergio Leone, 1966) – 186 min.

Três homens iniciam uma caçada atrás de uma fortuna enterrada em um cemitério longínquo. Neste clássico western de Sergio Leone tudo acontece de uma forma ágil. A trama consegue avançar de forma dinâmica, sem deixar, no entanto, que algum componente da história se torne superficial.

 

5º – Andrei Rublev (Andrei Tarkovsky, 1966) – 205 min.

A vida de um pintor do século XV é destrinchada para o espectador. Seus questionamentos, alegrias e angústias são enumerados nas mais de três horas do filme. ‘Andrei Rublev’ é um filme, em sua síntese, sobre os diferentes nuances que acabam regendo a relação do homem com seu meio.

 

4º – Os Sete Samurais (Akira Kurosawa, 1954) – 207 min.

Um vilarejo pobre sofre com as recorrentes invasões de criminosos que aterrorizam o lugar. Sem opções, os habitantes do lugar resolvem juntar suas economias para contratar sete samurais para defender o lugar das ameaças. ‘Os Sete Samurais’ é um filme fantástico. Cada minuto aqui é aproveitado. Nada fica fora da obra-prima de Akira Kurosawa.

 

3º – O Barco – Inferno no Mar (Wolfgang Petersen, 1981) – 293 min.

Na 2ª Guerra Mundial, um submarino alemão passa pelos mais diversos percalços para concluir seus objetivos. Claustrofóbico, ‘O Barco – Inferno no Mar’ mostra a luta de um grupo de homens pela simples possibilidade de ver a superfície novamente. Aqui veremos o quanto condições extremas alteram o comportamento humano.

 

2º – Jeanne Dielman (Chantal Akerman, 1975) – 201 min.

rotina entediante de uma dona de casa é exposta ao espectador em seus mínimos detalhes. Tudo aqui requer atenção e paciência por parte de quem assiste a obra. O filme é bastante cansativo e seu objetivo é mostrar como uma vida permeada de hábitos pode desconstituir a essência humana, nos levando à loucuraChantal Akerman ainda propõe uma discussão sobre o papel da mulher em uma sociedade machista e pouco inclusiva.

 

1º – Sátántangó (Béla Tarr, 1994) – 450 min.

Béla Tarr nos traz um dos mais belos filmes já concebidos. Tudo aqui procura absorver a atenção do espectador. A direção impecável, a fotografia magistral e o roteiro conciso levam a obra a outro patamar. ‘Sátántangó’ é um filme sobre a vida, suas repetições substanciais e seu eventual declínio. As mais de sete horas de filme são extremamente significantes para quem o assiste.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *