Top10: Dez Filmes Que Mostram o Lado Podre do Ser Humano

O que causa os comportamentos exacerbados do ser humano nos locais aos quais está inserido? Neste Top10, listamos dez filmes que fazem um estudo maior sobre a maldade humana e sua incoerência autodestrutiva contra a natureza ao seu redor. Nenhum filme da lista tem a presunção de mostrar as causas de um comportamento errático, mas, sim, de levantar ainda mais questionamentos sobre a nossa essência.

 

10º – Calvário (John Michael McDonagh, 2014)

‘Calvário’ conta a história de um padre que, após ser ameaçado de morte durante uma confissão, luta de todas as formas para manter sua fé em meio a uma cidade em desconstrução. O filme mostra como a natureza ruim do ser humano pode ser representada de diversas formas, desde um mero comentário preconceituoso até um assassinato a sangue frio.

 

9º – O Tempo do Lobo (Michael Haneke, 2003)

O filme nos traz a história de Anne (Isabelle Huppert) e seus dois filhos em uma luta desesperada pela sobrevivência quando descobrem que o mundo como conheciam já não existe. Temos aqui um filme pós-apocalíptico que traz para a tela o quanto o comportamento humano é flexível em uma escala destrutiva quando exposto a situações de adversidade. Como é tradicional do cinema de Michael Haneke, ‘O Tempo do Lobo’ se caracteriza por sua natureza dura, rústica e extremamente perturbadora.

 

8º – Mulheres Diabólicas (Claude Chabrol, 1995)

Clássico de Claude Chabrol, ‘Mulheres Diabólicas’ conta como o mal pode se inserir nos ambientes e lugares mais improváveis. Aqui temos a história de uma família que goza de uma vida bem estruturada em uma zona rural da França. Após precisarem de uma empregada, surge a figura de Sophie la bonne para se candidatar ao emprego. Apesar de demonstrar um lado estranho, a família decide contratar a mulher por sua competência e pela ausência de concorrência. Tudo vai bem até o momento em que Sophie começa a demonstrar seu lado negro, culminando em uma resolução perturbadora. Leia Nossa Crítica do Filme!

 

7º – Assassinos Por Natureza (Oliver Stone, 1994)

Após uma infância cruel e difícil, Mickey e Mallory, unidos pelo simples acaso, iniciam uma onda incompreensível de assassinatos sem motivos, deixando qualquer lugar que passem em um completo estado de caos. O filme traz ao espectador a visão de ser humano como produto do meio. Aqui, em ‘Assassinos Por Natureza’, a sociedade simplesmente colhe aquilo que plantou. A obra também apresenta uma crítica à banalização da morte encontrada naquela sociedade.

 

6º – Baixio das Bestas (Cláudio Assis, 2006)

Cláudio Assis apresenta, em um trabalho primoroso, a visão de um lugar esquecido pela sociedade, localizado em algum lugar do Pernambuco, controlado pela velha lei do mais forte. Sobreviver naquele lugar é uma tarefa difícil. Aqui o ser humano é mostrado em seu lado mais primitivo, evidenciando todo o seu lado animalesco. Sexo e violência se fundem, em um dos filmes brasileiros mais perturbadores já feitos. Leia Nossa Crítica do Filme!

 

5º – Violência Gratuita (Michael Haneke, 1997)

O filme faz um contraponto entre uma visão primitiva de ser humano, pautada sempre no uso da violência para guiar seus atos, e uma visão mais domesticada do homem inserido em uma sociedade com baixos índices de criminalidade. Seu diretor(Michael Haneke) nos questiona sobre ambos os pontos, mostrando os lados positivos e negativos de cada um de encarar o ser humano. Leia Nossa Crítica do Filme!

 

4º – Amargo Pesadelo (John Boorman, 1972)

Uma viagem sem volta para a perda do que restou da ingenuidade de um grupo amigos. Quando Lewis decide levar seus amigos para visitar um rio para praticar canoagem, ele descobre que o lugar esconde um lado negro em sua essência. A população que permeia o lugar esconde segredos aterradores que fazem o espectador questionar o que está vendo. Um filme que preza por chocar seu público. A cada resolução, cada momento ultrapassado, ‘Amargo Pesadelo’ aumenta o grau de sujeira que rege as relações sociais daquele lugar.

 

3º – Beasts of No Nation (Cary Fukunaga, 2015)

Em um país africano desconhecido, Agu, um filho da guerra civil presente no lugar, tenta sobreviver em um ambiente inóspito, onde cada dia ultrapassado é uma vitória. Aqui veremos o quanto a humanidade pode descer quando inserida em um local sem leis. ‘Beasts of no Nation’ é um filme duro sobre o que há de pior no ser humano.

 

2º – Miss Violence (Alexandros Avranas, 2013)

Na festa de aniversário de seus 11 anos, Angeliki, calma e em silêncio, sem ninguém notar, caminha até a sacada de seu apartamento e se joga. O filme passará os seus 98 minutos de duração desmembrando os motivos do suicídio da menina, revelando um lado obscuro presente naquela família aparentemente perfeita. ‘Miss Violence’ é um soco no estômago do espectador, trazendo os meandros do mal e seus desdobramentos na vida de diversas pessoas. Uma pérola do cinema grego.

 

1º – A Fonte da Donzela (Ingmar Bergman, 1960)

Ingmar Bergman nos apresenta uma obra potente sobre ingenuidade, inveja e vingança. O filme conta a história de Karin, uma jovem inocente inserida no século XIV, na Suécia, sua cruel morte e a vingança de seus pais contra os responsáveis por tirar sua vida. Um clássico ousado, mostrando que nenhum ser humano é incorruptível ao mal que engendra nossa essência.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *