Top50: Cinquenta Mega Filmes Para Você Assistir Pelo Menos Uma Vez na Vida

40º – Mar Adentro (Alejandro Amenábar, 2004)O filme explora um pequeno fragmento da vida de um homem, inserido em um quadro de saúde onde se encontra tetraplégico, e sua busca incessante pelo simples direito de ceifar toda a dor de sua existência e realizar a eutanásia. ‘Mar Adentro’ é uma obra potente sobre como as construções morais intrínsecas a uma sociedade podem atuar como esfera destrutiva nas vidas de determinados indivíduos.

 

39º – Festa de Família (Thomas Vinterberg, 1998)Uma festa para celebrar o aniversário de 60 anos do patriarca de uma família acaba tomando proporções caóticas quando segredos começam a ser revelados por seus integrantes. ‘Festa de Família’ é um desfile de comportamentos pautados unicamente por sensos instintivos, sem o menor pudor acerca de construções morais. Obra-prima de Thomas Vinterberg e, sem dúvidas, o melhor filme dinamarquês já feito.

 

38º – Beleza Americana (Sam Mendes, 1999)Um homem de meia-idade, frustrado sexualmente, acaba vislumbrando uma saída catártica para sua vida, mudando suas rotinas e ganhando dinamicidade em seu dia a dia. O filme ainda expõe o conceito de obsessão, onde o personagem encontra na figura de uma amiga adolescente de sua filha um combustível para continuar as mudanças de sua vida.

 

37º – Ela (Spike Jonze, 2013)Em um futuro próximo, um homem, envolto em uma sociedade solitária, desenvolve um relacionamento com um sistema operacional feito para dar conforto a pessoas insatisfeitas com suas atuais realidades. ‘Ela’ explicita uma hipocrisia social sobre o conceito de felicidade, onde a palavra é “pregada” como uma finalidade para a vida humana, mas, em uma realidade palpável, jamais teremos um movimento deste âmbito para provocar esse “status” no indivíduo.

 

36º – O Show de Truman (Peter Weir, 1998)Um homem inserido em uma realidade que tinha como perfeita, descobre que sua vida, na verdade, havia sido uma grande farsa, vindo a questionar tudo o que tinha como conhecido em suas rotinas. Aqui, veremos como a vida humana é flexível para diversos sentidos. O encontro de uma razão para seguir os passos sobre o mundo é visto como simples e, muitas vezes, controlável.

Continua na Próxima Página