Top50: Cinquenta Mega Filmes Para Você Assistir Pelo Menos Uma Vez na Vida

15º – Anomalisa (Duke Johnson, 2015)Um palestrante de sucesso tem a missão de passar alguns dias em um hotel onde terá que fazer seu próximo trabalho. Frio em seus caminhos, o filme traz a história de um personagem em um caminho de distanciamento contínuo em relação ao mundo. ‘Anomalisa’ não propõe olhares positivos sobre os encadeamentos da trama em momento algum, formulando uma história rústica sobre a forma que consumamos nossas relações sociais em uma sociedade contemporânea, assim como trabalha em cima do conceito de depressão.

 

14º – Fargo (Joel e Ethan Coen, 1996)Um homem financeiramente desesperado arma um plano mirabolante para sequestrar sua própria esposa e cobrar uma grande quantia de seu sogro rico pelo resgate. Para isso, o homem contrata dois criminosos. No entanto, o plano sai terrivelmente errado, deixando o homem em um jogo contra o tempo até a sua captura. ‘Fargo’ é dirigido pelos irmãos Coen, que conseguem criar uma atmosfera única ao filme. Aqui, o frio serve como elemento fundamental para a dinâmica da trama, deixando tudo mais substancial.

 

13º – O Lobo de Wall Street (Martin Scorsese, 2013)O filme, baseado na história de vida de Jordan Belfort, conta a história de ascensão e declínio de um homem ávido por sucesso e dinheiro. Mesclando os elementos erráticos da vida de seus personagens com uma aura leve de comédia, ‘O Lobo de Wall Street’ não é tão único na filmografia do diretor quanto o filme acima, mas também apresenta bons elementos que destoam ao aparato regular de Scorsese.

 

12º – A Chegada (Denis Villeneuve, 2016)Na trama, quando várias naves de origem desconhecida pousam em diversos locais ao redor do globo, uma linguista é contratada para ajudar na tentativa de descobrir a razão dos objetos estarem na terra. ‘A Chegada’ é um filme cadenciado, que entrega detalhes de sua história de forma dosada ao espectador, trabalhando sempre por emanar uma certa confusão acerca do que é visto. O filme cobra bastante atenção por parte do espectador, tendo como principal esfera propulsora para os caminhos da trama a figura do tempo na vida humana.

 

11º – Solaris (Andrei Tarkovsky, 1971)Um psicólogo é enviado a uma estação espacial para investigar as motivações do porquê os tripulantes do local tinham enlouquecido. Outro integrante da filmografia do russo Andrei Tarkovsky nesta lista, ‘Solaris’ se utiliza de poucos ambientes para reger sua trama, tentando colocar o espectador para vivenciar, junto com os personagens, toda a aura pouco aprazível e perigosa que rege aquela história.

Continua na Próxima Página