50 Filmes Que Toda Pessoa Deveria Assistir Antes de Entrar na Faculdade

20º – Moonlight (Barry Jenkins, 2016)Vários fragmentos da vida de um rapaz são explorados pela trama, trazendo os meandros de sua relação exacerbada com o mundo a sua volta. ‘Moonlight – Sob a Luz do Luar’ consegue dar um olhar assertivo para uma camada negligenciada pelo cinema: relacionamentos homoafetivos entre negros. Obra-prima inquestionável do cinema que permanece na cabeça do espectador mesmo muito tempo após o seu término.

 

19º – Capitão Fantástico (Matt Ross, 2016)Um pai enfrenta um grande dilema em sua vida após seus modelo de vida inserido na natureza, longe da sociedade, começar a se apresentar como um fator limitador para seus filhos em crescimento. ‘Capitão Fantástico’ é uma pérola recente do cinema, oferecendo um olhar diferente sobre a consumação subjetiva de vida para vários indivíduos diferentes.

 

18º – Persépolis (Vincent Paronnaud, 2007)Irretocável e comovente da primeira à última cena, ‘Persepolis’ explora a vida de uma garota, destrinchando várias etapas de sua vida, durante a revolução islâmica do final da década de 1970. Animação potente, a obra ainda consegue denunciar vários dos horrores causados pela estupidez humana, sem, no entanto, ficar pesado em sua plena exposição aos espectadores.

 

17º – Brooklyn (John Crowley, 2015)Alocado em meio à década de 1950, o filme conta a história de uma jovem que decide morar nos Estados Unidos, deixando seu país e ingressando em um lugar completamente diferente daquele que ela estava acostumada. ‘Brooklyn’ é leve em seu compêndio de cenas, trabalhando com conceitos importantes do dia a dia do ser humano de forma assertiva.

 

16º – A Garota de Rosa-Shocking (Howard Deutch, 1986)Na trama, uma garota pobre vive as nuances da adolescência ao ter que escolher entre dois rapazes. ‘A Garota de Rosa Shocking’ consegue trazer as inquietações românticas da adolescência de uma forma assertiva e honesta, se utilizando de personagens fascinantes e o talento da musa de John Hughes da década de 1980, a atriz Molly Ringwald.

Continua na Próxima Página

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *