Top10: Dez Filmes de Suspense da Netflix Arrepiantes

7º – Noite de Lobos (Jeremy Saulnier, 2018)Um escritor de livros sobre a natureza recebe um pedido de ajuda de uma mãe que tivera seu filho levado por lobos em uma pequena cidade gélida. Surpreendentemente atendendo o pedido, o homem vai até o lugar e inicia uma caçada aos lobos em busca de uma resposta para o que havia acontecido. No entanto, tudo que ele irá descobrir vai muito além do que ele estava preparado. ‘Noite de Lobos’ é um suspense mediano. Sua proposta inicial e os seus primeiros 20 minutos trabalham por capturar completamente a atenção de quem assiste, com uma atmosfera de mistério fascinante. No entanto, após esse período, a obra acaba dando respostas cada vez mais absurdas, diminuindo muito do brilho inicial.

 

6º – Cam (Daniel Goldhaber, 2018)Na trama, uma camgirl, obcecada por crescer em popularidade em sua profissão, tem sua vida completamente alterada quando uma pessoa exatamente como ela passa a assumir sua identidade na internet. Perdendo pouco a pouco toda a vida que havia construído, a garota passa a investigar mais sobre a razão de tudo aquilo, somente descobrindo que a verdade talvez fosse mais pesada do que pensara. ‘Cam’ entrega uma atmosfera de loucura e estranhamento única ao espectador, nos conduzindo através de uma trama incômoda sobre os caminhos sociais atuais em meio ao avanço inexorável da tecnologia.

 

5º – Calibre (Matt Palmer, 2018)Dois homens, na faixa dos 30 anos de idade, decidem relembrar coisas prazerosas de sua amizade no passado, partindo para uma pequena cidade para praticar caça. O problema é que um terrível acidente ligado à mera figura do acaso e a truculência local deixarão ambos em uma situação extrema e perturbadora. ‘Calibre’ certamente não possui todo o reconhecimento que deveria ter. Sua história densa, cadenciada e, claro, bastante inteligente prende completamente a atenção do espectador aos desdobramentos de cada fragmento de cena. Uma obra que mostra um pouco sobre o cerne podre do ser humano no mundo e, também, sobre a figura, às vezes, trágica do simples acaso.

 

4º – Mudo (Duncan Jones, 2018)Na trama, alocada em um futuro próximo, um homem mudo inicia uma busca por uma pessoa desaparecida, adentrando a uma realidade podre do mundo. ‘Mudo’ nutre momentos positivos e negativos, chamando a atenção de seu espectador por seus cenários futuristas bonitos e irresistíveis.

Continua na Próxima Página