Crítica: ‘Um Senhor Estagiário’(2015), de Nancy Meyers

Se
beneficiando de uma direção competente, trilha sonora leve, edição dinâmica e
um protagonista à vontade na caracterização de seu personagem, ‘Um Senhor
Estagiário’ atinge seu objetivo de agradar o espectador com um bom filme. A
experiente cineasta Nancy Meyers faz um de seus melhores trabalhos na direção e consegue realizar aqui
um “Feel Good Movie”.
A história
contada aqui é a de um senhor de idade, na casa de seus 70 anos, aposentado,
viúvo, que se vê imerso em uma vida rotineira inexorável. Eis que, após ver um
panfleto de uma empresa procurando pessoas para preencher determinadas vagas, o
personagem decide tentar mudar seu estilo de vida. A trama se desenvolve a
partir deste ponto, explorando a vida deste senhor após a decisão.
Na primeira
metade, o filme se limita praticamente a um só ambiente, a empresa em que o
personagem decide trabalhar. A proposta aqui apresentada pelo filme é simples,
explorar ao máximo a boa química entre os atores e aproveitar o ambiente
convidativo da empresa em questão, lembrando muito a atmosfera criada por ‘O
Diabo Veste Prada’(2006). O sucesso desta comédia se deve muito por encontrar
um ritmo já não utilizado constantemente em filmes do gênero atualmente, usado
a exaustão em longas da primeira metade da década passada, como, por exemplo,
‘Como Perder Um Homem em 10 Dias’(2003).

Na reta
final, a comédia acaba perdendo um pouco do encanto, tornando-se repetitiva e
cansativa. O fato do roteiro ser ruim e repleto de clichês é muito bem
contornado pela diretora na primeira hora de filme, porém, nesta segunda metade,
já não havia muito o que se fazer. O filme conta com duas histórias
interligadas na trama, a central do aposentado querendo encontrar seu caminho
e, a segunda, de uma mulher importante e competente vivendo conflitos e dúvidas
familiares e profissionais. E é quando o foco do filme se detêm na segunda
história que essa queda notável de qualidade acontece.

A parte
estética do filme é muito boa. Temos aqui um importante espaço dado pela
diretora para a edição e trilha sonora no filme. E isso é de suma importância
para o sucesso deste. Começando pela leveza da trilha sonora, que trabalha por
conduzir o espectador através da história contada aqui, sem jamais se tornar um
parasita na história. O trabalho de edição é um dos elementos que mais
relativiza as falhas do roteiro(comandado também por Nancy Meyers). Seu
dinamismo aqui é fundamentalmente necessário para não deixar o longa insosso.
Entretanto, tudo isso não faria a menor diferença se não tivéssemos uma
profissional competente no comando da direção. Nancy Meyers conseguiu repetir a
estrutura usada por ela em filmes como ‘Do Que as Mulheres Gostam’(2000) e
‘Alguém tem Que Ceder’(2003), fazendo aqui seu melhor trabalho. 

Aliás, o
trabalho da diretora vai muito além dos aspectos técnicos do filme, aqui ela
trabalha assiduamente para que o elenco entregue algo positivo. Todos os seus
integrantes estão muito bem, seja lá qual for sua importância no filme. O
destaque, claro, é para a atuação de Robert De Niro. O experiente ator não tem
vergonha em mergulhar de cabeça em um papel que o expõe a elementos sociais
complicados, como a defasagem imposta pela sociedade às pessoas mais velhas. A
atuação de Robert De Niro nos lembra muito do personagem clássico interpretado
por este em ‘O Rei da Comédia’(1982). Temos também no elenco a presença de Anne Hathaway, que entrega uma performance positiva.
‘Um Senhor
Estagiário’ está longe de ser um filme ausente de erros, mas é exatamente a
habilidade de superar estes que fazem o sucesso do longa. Meyers não cria aqui
uma comédia que vai ser relembrada através do tempo, mas é, sem dúvidas, um
entretenimento para qualquer hora. A leveza do filme é o que segura o
espectador por mais de duas horas. A química presente no elenco torna piadas
batidas em momentos engraçados. Um bom filme que vale o tempo investido.
Nota CI: 6,9 Nota IMDB: 7,1
Filmografia:
SENHOR
Estagiário, Um. Direção: Nancy Meyers. 2015. 121 min. Título Original: The
Intern.
DO Que As
Mulheres Gostam. Direção: Nancy Meyers. 2000. 127 min. Título Original: What
Women Want.
ALGUÉM Tem
Que Ceder. Direção: Nancy Meyers. 2003. 128 min. Título Original: Something’s
Gotta Give.
DIABO Veste
Prada, O. Direção: David Frankel. 2006. 109 min. Título Original: The Devil
Wears Prada.
COMO Perder
Um Homem Em 10 Dias. Direção: Donald Petrie. 2003. 116 min. Título Original:
How to Lose a Guy in 10 Days.
REI da
Comédia, O. Direção: Martin Scorsese. 1982. 109 min. Título Original: The King
of Comedy.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *