Top10: Dez Filmes do Diretor Billy Wilder Que Você Precisa Assistir

Vencedor de seis estatuetas do Oscar em sua longa filmografia, Billy Wilder se notabilizou por seu talento expansivo, variando entre diversos gêneros e obtendo sucesso em todos, conseguindo trazer ao cinema diversas obras-primas. Nascido no começo do século XX, em 1906, Billy Wilder foi fazer sua estreia como diretor, posto que o consagraria em anos subsequentes, em 1934, no filme ‘Semente do Mal’. Wilder dirigiria ainda mais 25 filmes até 1981. Neste Top10, nos propusemos à dura missão de selecionar dez filmes elementares para compreender o cerne do cinema de Wilder. Os filmes abaixo são muito distintos um do outro, evidenciando períodos diferentes da carreira do diretor. Vamos à lista!

 

10º – Cupido Não Tem Bandeira (Billy Wilder, 1961)

Na Alemanha Oriental, em meio à Guerra Fria, um executivo da coca-cola é incumbido da missão de cuidar da filha de um importante homem de negócios. A trama ganha seu ritmo quando o homem descobre que é impossível manter sob controle a filha do sujeito, acarretando em uma série de confusões para ele. Bastante dinâmico, ‘Cupido Não Tem Bandeira’ não chega aos pés dos maiores filmes de Billy Wilder, mas, ainda assim, acaba se fazendo uma excelente comédia.

 

9º – Inferno Nº 17 (Billy Wilder, 1953)

A trama se concentra em um campo de concentração, em meio à Segunda Guerra Mundial, mostrando o cotidiano dos prisioneiros em suas buscas diversas por formas de se divertir e a eclosão da informação de que existiria um informante no lugar. Nutrindo um roteiro conciso e atuações irretocáveis, ‘Inferno Nº 17’ é um dos dramas mais substanciais da carreira de Billy Wilder.

 

8º – A Montanha dos Sete Abutres (Billy Wilder, 1951)

Um repórter em declínio em sua carreira resolve aproveitar-se de uma situação onde um homem se encontra preso em uma caverna para tentar voltar a vislumbrar o sucesso em sua profissão. ‘A Montanha dos Sete Abutres’ trabalha sobre o senso de banalização de notícias na mídia, os limites morais intrínsecos a uma sociedade e a vontade de poder inserida no ser humano. Atemporal, os temas abordados pelo filme podem ser facilmente inseridos em uma realidade atual.

Continua na Próxima Página

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *