Top10: Dez Filmes Sobre o Suicídio

7º – Gosto de Cereja (Abbas Kiarostami, 1997)Na trama, um homem de meia-idade dirige pela cidade em que mora à procura de uma pessoa que o enterre sob a figura de uma árvore especial após ele cometer suicídio. ‘Gosto de Cereja’, dirigido pelo grande Abbas Kiarostami, é um drama sensível sobre o cerne humano do mundo, trazendo uma história triste, mas que consegue envolver e comover o espectador a cada minuto ultrapassado.

 

6º – Mishima: Uma Vida em Quatro Tempos (Paul Schrader, 1985)Utilizando de uma atmosfera lúdica para criar sua obra, Paul Schrader entrega aqui o filme mais impactante de sua carreira como diretor. Um filme que aproveita quase que exclusivamente do brilho de seu roteiro para conceder a substância necessária à obra. ‘Mishima – Uma Vida em Quatro tempos’ é intenso do começo ao fim, sempre indagando em sua essência os conceitos básicos que regem as atitudes do ser humano, como o preceito de vontade de potência, o existencialismo e o suicídio como instrumento de glorificação.

 

5º – Before i Disappear (Shawn Christensen, 2014)À beira do suicídio, um homem desiludido com sua vida recebe um pedido de ajuda de sua irmã, a fim que ele cuide por um pequeno período de tempo de sua sobrinha de 11 anos. Juntos, o homem e sua sobrinha, formarão um estranha vínculo de amizade, sempre pautados em situações desajustadas, mostrando a ambos que a vida ainda poderia oferecer coisas novas e incríveis. Boa opção recente do cinema, este filme surpreende por sua leveza em suas cenas e meandro central de história, com uma aura otimista sobre parte da existência e sobre o caráter adaptativo do ser humano.

 

4º – Christine (Antonio Campos, 2016)Baseado em um evento real, o filme traz a história de uma jornalista de um canal de televisão de uma pequena cidade, expondo a vida solitária da mulher e sua busca incessante por subir de cargo em sua carreira. O filme ganha sua substância quando a mulher começa a perder o contato com a realidade, empreendendo, cada vez mais, um comportamento autodestrutivo relação ao seu meio social em que está inserida. ‘Christine’ trabalha com uma personagem inserida em um estágio inexorável da depressão, contrastando, também, um possível Transtorno de Personalidade Borderline, trazendo todo o triste aspecto degenerativo nela. Um filme extremamente perturbador, não sendo recomendado para momentos de instabilidade emocional em virtude de seu conteúdo conceitual pesado.

Continua na Próxima Página