Top10: Dez Filmes Incríveis Que Fazem Uso da Cor Vermelha

Trouxemos dez grandes filmes que fazem um uso incrível da cor vermelha em suas histórias. A ideia aqui é somente incluir obras em que o vermelho tenha um papel fundamental no desenvolvimento da história, seja propriamente na trama ou simplesmente em um desenrolar estético, atuando por deixar bem claro, mesmo para o espectador mais desligado, a sua presença abrangente na obra. Vamos à lista!

 

10º – O Grande Hotel Budapeste (Wes Anderson, 2014)O filme segue as nuances agitadas das vidas de um gerente e um empregado de um hotel, mostrando os eventos turbulentos que os dois passam durante a primeira metade do século XX. ‘O Grande Hotel Budapeste’ possui a tradicional atmosfera irresistível do cinema de Wes Anderson, com uma história fascinante e sempre dinâmica.

 

9º – Demônio de Neon (Nicolas Winding Refn, 2016)À procura de se tornar uma grande modelo, uma jovem muda de cidade e se aventura pelo mundo cruel da profissão. Estranhos eventos vão acontecer com ela e com as pessoas a sua volta, colocando em dúvida todo o seu objetivo inicial. Dirigido pelo ótimo Nicolas Winding Refn, ‘Demônio de Neon’ é impecável em sua construção estética, fazendo uso de cores quentes para dar dinâmica a cada fragmento de cena. A trama do filme também é bastante envolvente, deixando quem assiste completamente focado na resolução de cada conflito. Outro detalhe essencial para o sucesso do que Refn se propõe a contar é a presença de Elle Fanning como protagonista.

 

8º – Gritos e Sussurros (Ingmar Bergman, 1972)Quando uma mulher se encontra em meio à reta final de sua vida, condenada por um câncer, caberá às suas duas irmãs lhe dar algum conforto em meio à dor. No entanto, a presença das duas somente exacerbará o sofrimento de todos os ali expostos. ‘Gritos e Sussurros’ é um filme que altera a forma do espectador ver o mundo. Tudo ali contido é de uma perfeição impressionante. Não são poucas as cenas que, literalmente, nos arrepiam por sua substância intensa, como, por exemplo, o monólogo do personagem de Erland Josephson em relação à uma das irmãs, sob a figura de um espelho, ou o momento em que as personagens de Liv Ullmann e Ingrid Thulin embarcam em uma discussão sobre a constituição do relacionamento familiar entre as duas. Enfim, são vários os momentos incríveis deste filme. Uma das maiores obras já concebidas no cinema.

Continua na Próxima Página

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *